ESCOLHA DE DESEMBARGADOR – OAB avaliará mudança em regra; conselheiros podem ser beneficiados

0
120
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Advogado é conselheiro federal e poderia estar impedido de concorrer em caso de eleição “indireta”

MidiaNews

O presidente da OAB seccional Mato Grosso, Leonardo Campos

THAIZA ASSUNÇÃO
DO MIDIAJUR

O Colégio de Presidentes dos Conselhos Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprovou uma propositura estabelecendo mudanças na disputa para vagas de desembargador nos Tribunais de Justiça de todo o País.

Na prática, o provimento permite que conselheiros estaduais e federais da entidade participem do pleito caso renunciem ao cargo.

A proposta, no entanto, ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Federal dos Advogados do Brasil para ter validade. Não há uma data para deliberação do tema.

Caso aprovada, a propositura pode beneficiar membros da diretoria da OAB-MT, quando forem abertas novas vagas para desembargadores no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, o que pode ocorrer em breve. É que, dependendo de como for a votação para escolha da lista para desembargador, ele poderia estar impedido de participar.

O presidente da OAB de Mato Grosso, Leonardo Campos, explicou que atualmente os conselheiros estaduais e federais até podem disputar a vaga caso a eleição seja direta (quando todos os advogados inscritos na Ordem podem votar na escolha de um dos indicados). Mas em caso de eleição indireta (quando é feita pelo Conselho Seccional), eles são impedidos, mesmo renunciando ao cargo.

Conforme Leonardo Campos, o propositura derruba a proibição dos conselheiros estaduais e federais em não disputar a vaga quando a eleição for indireta.

O presidente frisou que o texto prevê que em qualquer hipótese é vedada a participação das diretores da OAB, da caixa de assistência, de subseção e do Conselho Federal na disputa.

“Esse provimento está tramitando desde 2018, quando sequer havia possibilidade do Tribunal de Justiça de Mato Grosso abrir vaga. Porém, quando encerrou o mandato em 31 de dezembro de 2018, assumindo os novos membros em 1º de janeiro de 2019, reanalisamos a matéria e decidimos aprovar. Foi isso que aconteceu”, disse.

Novas vagas no TJMT 

Ainda não há uma definição de quantas vagas serão criadas, mas especula-se que seriam seis ou nove.

Se confirmadas as seis, uma delas é de indicação da OAB – o chamado quinto constitucional e outra do Ministério Público Estadual (MPE).

As demais seriam do Judiciário – duas por antiguidade e duas por merecimento.

Assim que definido o número de novas vagas, a decisão será levada para análise do Órgão Especial do Tribunal de Justiça, composto por 13 desembargadores. A previsão é que essa votação ocorra já na próxima semana.

A partir daí, a proposta então segue para a Assembleia Legislativa. Se aprovada, retorna ao Tribunal de Justiça para, por fim, ser submetida ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para homologação.

Só a partir de então é que o Tribunal de Justiça poderá realizar sessões para definir quem serão os novos desembargadores.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui