COMPROMISSO COM A SAÚDE LUCIMAR CONFIRMA PRIORIDADE COM SAÚDE PÚBLICA

    0
    50
    Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

    NOS QUATRO PRIMEIROS MESES DE 2020, FORAM APLICADOS QUASE 22% DAS RECEITAS PRÓPRIAS NA SAÚDE PÚBLICA SOMANDO R$ 24.642 MILHÕES

    A prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, reafirmou seu compromisso em dobrar os recursos destinados a saúde e a área social neste ano de 2020 em meio a pandemia da COVID 19.
    Ela apresentou o relatório resumido de prestação de contas do primeiro quadrimestre deste ano (Janeiro a Abril) quando foram investidos na área de saúde quase 22% das Receitas Correntes Municipais no que tange a receitas próprias.
    “A Lei prevê que os gestores públicos municipais devem aplicar até 15% de suas receitas em saúde e os Estados até 12%, e nós enquanto Várzea Grande, aplicamos somente nos quatro primeiros meses deste ano quase 22%, ou seja, 7% a mais e vamos chegar a 30% até o final do ano, repetindo os índices dos anos anteriores”, explicou a prefeita sinalizando que a prioridade continuará sendo as áreas essenciais, como saúde, social, educação, segurança e obras.
    Citando os princípios constitucionais da Administração Pública, o LIMPE – Legalidade; Impessoalidade; Moralidade; Publicidade e Eficiência, a Prefeitura de Várzea Grande quer demonstrar a população que vem cumprindo além do que a lei determina em torno das receitas próprias do município de Várzea Grande para as áreas essenciais principalmente a saúde, social e segurança que tem sido muito utilizadas neste momento.
    Com base na arrecadação de impostos apuradas de 1 de janeiro até 30 de abril, incluindo as transferências obrigatórias do Governo Federal, se tem uma receita da ordem de R$ 230.824.172 milhões, dos quais R$ 150.284.377 milhões são referentes as transferências.
    Já o secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, apontou que foram aplicados em saúde pública de Várzea Grande, nos quatro primeiros meses de 2020, recursos da ordem de R$ 24.642.739 milhões, R$ 7.233.283 milhões a mais do que o previsto na lei para ser aplicado no setor e frisou que se descontar do total de receitas arrecadadas as transferências obrigatórias do governo federal se terá mais de 30,6% aplicados em saúde pública.
    “Aqui nestes valores estão demonstrados os compromissos da atual administração com a saúde pública e pode apostar que iremos fechar o ano com mais de 30% das receitas aplicadas neste que se tornou o mais importante setor da economia e da vida das pessoas”, frisou o titular da Saúde Pública.
    Além da Saúde que atingiu 21,23%, a Educação que tem previsão constitucional de até 25% das receitas públicas em Várzea Grande recebeu 25,55%. “Estes índices demonstram o compromisso da gestão da prefeita Lucimar Campos, pois ainda estávamos nos quatro primeiros meses do ano e já havíamos cumprido os percentuais que eram do ano inteiro”, disse a secretária de Gestão Fazendária, Lucinéia dos Santos Ribeiro.
    Lucimar Sacre de Campos assinalou que semana passada o Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande abriu 10 novos leitos de UTI para casos não COVID 19 com recursos próprios municipais e ajuda do Governo Estado  e ponderou que mesmo no Plano de Contingência, a estrutura de saúde da cidade ter ficado como não COVID 19, o atendimento ambulatorial para os casos COVID são realizados nas Unidades de Pronto Atendimento – UPA IPASE e Dr. Farid Seror (Grande Cristo Rei) e no Hospital Pronto Socorro para triagem e transferência dos casos de coronavírus para as unidades referências que são muitas no Estado e que na Região Metropolitana são o Hospital Estadual Metropolitano em Várzea Grande, o Hospital Estadual Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, o antigo Pronto Socorro Municipal de Cuiabá e o Hospital São Benedito.
    O titular da saúde lembrou que novas medidas estão sendo adotadas e podem ser anunciadas em breve. “Temos mais ações sendo planejadas e implementadas, mas só serão anunciadas quando se tiver certeza absoluta das mesmas. Neste momento de pandemia dependemos de uma série de fatores externos, como mais servidores da saúde, mais equipamentos, mais medicamentos e mais insumos e como estamos fazendo tudo dentro do devido processo legal com licitação, compras em valores corretos e transparentes, por isso precisamos adotar e colocar em prática protocolos que buscam resultados neste momento explicou Diógenes Marcondes.

    Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.