Presidente do Indea pede exoneração do cargo após denúncia de assédio sexual

0
225

Mikhail Favalessa e Jacques Gosch

Opresidente do Indea-MT, Marcos Catão Dornelas Vilaça, pediu exoneração do cargo nesta segunda (18) após reunião com o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho. A saída de Catão vinha sendo defendida por movimentos de mulheres depois que uma denúncia de assédio sexual contra ele veio à tona na semana passada.

Reprodução

Marcos Catão deixou o Indea-MT hoje

Emanuele Gonçalina de Almeida, que já estava na presidência durante as férias de Catão, ficará por pelo menos mais 10 dias como interina à frente do Indea-MT.

Marcos Catão estava em viagem quando a denúncia surgiu e o governo aguardava seu retorno para resolver a situação. De acordo com o advogado Francisco Faiad, que faz a defesa dele, Catão voltará a seu cargo como servidor de carreira do órgão.

“Para evitar maiores desgastes à instituição ao qual presto serviços há 27 anos, solicitei nesta segunda meu afastamento da presidência do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT)”, diz trecho de nota encaminhada pela defesa.

O servidor afirma que irá dedicar seus esforços para construir a defesa no caso e provar sua inocência sobre o suposto assédio. “Confio nos órgãos de investigação e na Justiça, que certamente vão apurar e julgar os fatos de forma independente e imparcial”.

O governo pediu abertura de investigação para apurar o caso. A mulher que o denunciou era uma servidora comissionada do Indea-MT e registrou boletim de ocorrência, o que gerou abertura de inquérito policial.