Poconé; Ex-vereador revela ameaça de ex-prefeito ao fiscalizar garimpo em MT e Wilson acusa Avalone de ‘defender garimpeiro’ em CPI e deputado rebate: “Extremamente deselegante”

0
1174
BRIGA PELO OURO

Walney Rosa diz que foi perseguido por Priminho Riva e chegou a registrar boletim de ocorrências

DIEGO FREDERICI Da Redação Folhamax

O ex-vereador de Poconé (100 KM de Cuiabá), Walney Rosa (DEM), revelou que foi ameaçado pelo ex-prefeito de Juara (700 KM de Cuiabá), Priminho Antonio Riva (PL), irmão do ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), José Riva, e tio da deputada estadual Janaína Riva (MDB).

Walney Rosa compareceu a uma oitiva da CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal, que tramita na ALMT, na manhã desta segunda-feira (14). No depoimento, ele confirmou o episódio, ocorrido em 2017, primeiro ano de seu mandato como vereador, numa “fiscalização” a um garimpo.

Priminho Antônio Riva é empresário que atua no setor de mineração. O ex-vereador de Poconé revela “não querer diálogo” com o “desafeto”, confirmando que um boletim de ocorrência foi lavrado na ocasião.

“Aconteceu, o boletim de ocorrência foi lavrado. Depois a cooperativa dos garimpeiros atendeu a necessidade. No entanto é alguém que não quero diálogo, e por mim está caso encerrado”, conta o ex-vereador.

Walney conta que após uma fiscalização realizada numa planta de garimpo, localizada no distrito de Cangas, em Poconé, foi seguido por Priminho Riva e outras pessoas dentro um veículo. Ao chegar ao Centro do município, ele narra que foi “fechado” pelo carro que o seguia, e que em seguida foi “ameaçado” pelo grupo.

“Foi em 2017. Eu estava vindo de uma fiscalização ambiental no distrito de Cangas e o veículo deles acabou me perseguindo. Me fechou na entrada da cidade, e falou ‘o que você tá fazendo?’, ‘o que vai acontecer?’.  Até explicar ‘Lé com Cré’, houve essa intempérie, eu fui e fiz a denúncia, o boletim de ocorrência na Polícia Militar”, conta Walney.

O ex-vereador não deu mais detalhes sobre possíveis desdobramentos do boletim de ocorrência – como uma ação na Justiça, por exemplo. Priminho Riva foi nomeado em 2019 no gabinete do deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade-MT) como assessor parlamentar. Em 2020, ele chegou a se colocar como candidato a prefeito de Juara, mas acabou desistindo do pleito após uma condenação do Tribunal de Contas da União (TCU) por um superfaturamento de R$ 81,3 mil na aquisição de unidades móveis de saúde, em 2004.

BATE-BOCA TUCANO

Wilson acusa Avalone de ‘defender garimpeiro’ em CPI e deputado rebate: “Extremamente deselegante”

Da Redação OD  – Isabela Mercuri / Do local – Max Aguiar Foto: Helder Faria/ AL-MT

Wilson acusa Avalone de 'defender garimpeiro' em CPI e deputado rebate: “Extremamente deselegante”

Os deputados estaduais Wilson Santos e Carlos Avalone, ambos do PSDB, se ‘estranharam’ durante reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Sonegação Fiscal na manhã desta segunda-feira (14) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). Após Avalone dizer que uma área degradada que aparecia em uma imagem já estava sendo recuperada, Wilson afirmou que ele estava ‘defendendo garimpeiro’. O parlamentar não gostou nada do comentário do colega de partido e rebateu. “Você está sendo extremamente deselegante comigo, porque eu não estou fazendo isso”, afirmou Avalone.

A discussão aconteceu durante o depoimento do empresário Walney de Souza Rosa, servidor público e ex-vereador. Walney mostrou duas fotos de uma área degradada pelo garimpo e afirmou que ela já estava em processo de recuperação. Wilson não gostou que Avalone tivesse concordado com a fala do depoente e a repetido. “Eu estou usando as palavras dele, ele falou isso, e eu perguntei duas ou três vezes: isso [a degradação] aconteceu agora ou é daquela época que não tinha legislação? E ele disse, foi da época que não tinha legislação. Agora, está se explorando no mesmo lugar, e agora já começou a recuperar? E ele disse: já começou a recuperar. Então aquela imagem é a imagem que vai ser recuperada, porque ele disse”, afirmou.

Logo depois, Wilson afirmou que quem tinha tirado a foto era ele e o deputado Nininho (PSD) há três semanas e, portanto, a foto era atual. Avalone continuou: “Eu não estou defendendo ninguém aqui não. Eu quero dizer, aqueles que estiverem fazendo de forma correta eu não vejo problema. Aqueles que estiverem trabalhando de forma legal, eu não vejo problema. Essa imagem aqui é real, é de agora, foi feita pelo deputado Wilson, parabéns pelo trabalho de ter feito e eu fiz a pergunta: vai ser recuperada? E ele disse, já está sendo recuperada”.

Avalone ainda reiterou que ‘não se incomoda’ de que tenham milionários em Poconé ou em outro lugar, e voltou a trocar farpas depois que Wilson deu risada: “Não venha com gozação, deputado Wilson. Não venha com esse tipo de coisa. Aqui não tem defensor não, tem pessoas que vão falar a verdade cortando certos exageros que às vezes são feitos e a gente tem que colocar na ponta da língua”, afirmou.

Por fim, Wolney se desculpou pela confusão, mas afirmou que as fotos eram dele mesmo, sendo uma de 2018 e outra de 29 de março de 2019. Avalone fez questão de desmentir Wilson, e dizer que as fotos, então, não eram dele e de Nininho. Wilson, por sua vez, reafirmou que havia ido ao mesmo local há três semanas e que ainda estava do mesmo jeito.