Além de beleza, ipês têm propriedades que ajudam na cura

0
39

TEMPORADA DAS FLORES

Jessica Bachega jessica@gazetadigital.com.br

Basta chegar junho e julho para a paisagem de Cuiabá ganhar os tons de roxo por toda parte. De toda a família dos ipês, o roxo é o primeiro a floriar, embelezando as ruas, que logo darão espaço para os “irmãos” amarelo, rosa e branco.

De acordo com o biólogo Tony Schuring Siqueira, as cores dos ipês tem relação com a especificidade das raízes.
“As que absorvem mais enxofre têm flores amarelas, ferro tem flores roxa. Tudo está interligado com a especificidade de absorção das raízes”, explica.

João Vieira

Conforme o biólogo, Ipê é uma palavra de origem tupi, que significa árvore cascuda. É o nome popular usado para designar um grupo de 10 espécies de plantas com características semelhantes de flores brancas, amarelas, rosas, roxas ou lilás.As sementes do ipê têm é alada e pode voar até 10 km para cair e fecundar em solo fértil. Por isso é comum ver as árvores em áreas remotas. As espécies que mais ficam floridas são a amarela e roxa. Já a com florada mais dura é o branca. Árvores como paineira rosa, aricá e chuva de ouro são frequentemente confundidas com ipê.

Propriedades
Além de beleza, eles têm propriedades medicinais e alguns são comestíveis, como branco.

Antigamente, quando os povos usavam conhecimento da medicina popular para a cura, o ipê roxo era amplamente usado para tratamento de diversas enfermidades.

Substâncias presentes na casca dessa espécie têm propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, antiviral e antioxidante, entre outros benefícios.

Nos meses de junho e agosto é a vez dos Ipês amarelos reinarem. Ele é encontrado em praticamente todo o país. Sua presença é tão marcante que, em 27 de junho de 1961, o presidente Jânio Quadros aprovou o Projeto de Lei 3.380/61, que tornou a flor do ipê amarelo símbolos do Brasil e o pau-brasil a árvore símbolo nacional.

Reprodução

Tony Schuring Siqueira biologo

 Biólogo Tony Schuring

Ele carrega propriedades usadas popularmente para tratar anemia, amigdalite, infecção urinária, bronquite, candidíase e cicatrizante para feridas internas e externas.

Entre julho e agosto é a florada do Ipê rosa. Achado na maior parte dos estados, ele prefere regiões quentes, mas também tem bom desempenho em áreas um pouco mais frias, porém secas.

Por sua cor, ele é muito usado em paisagismo. Rico em vitaminas e em minerais, como o magnésio, o ferro, manganês, cálcio e iodo, bário e boro, entre outros. Pode ser usado como um antibiótico.

Por último floresce o ipê branco, que muda totalmente o visual da cidade. Encontrado no Centro-Oeste e Sudeste, ele tem florada entre agosto e outubro, sendo mais recorrente em setembro.

O ipê branco tem propriedades anti-inflamatórias e estudos apontam sua eficiência no tratamento da gota, regulação do ácido úrico e os problemas que ele pode causar.

Vale ressaltar que não é recomendada automedicação, mesmo com produtos naturais. As propriedades medicinais do ipê citadas têm caráter informativo e não substituem a consulta médica.