Empresária tem o pulmão perfurado em acupuntura e é internada

0
107

Jessika Germiniani está internada há 4 dias em Sorriso; ela precisou passar por cirurgia de emergência

VITÓRIA GOMES
DA REDAÇÃO

A empresária Jessika Aldrey Germiniani está internada há quatro dias em Sorriso após ter seu pulmão perfurado durante uma sessão de acupuntura.

 

Devido ao erro, a empresária precisou passar por uma cirurgia de urgência e agora precisa do auxílio de um dreno para que o pulmão funcione.

 

Em entrevista ao MidiaNews, Jessika conta que procurou a profissional, pois estava sentindo dores no pescoço e queria fazer uma massagem.

 

Muito preocupada com o corpo e com a saúde, ela explica que a própria massagista sugeriu que ela fizesse o método de acupuntura, conhecida por ser uma técnica chinesa milenar em tratamentos terapêuticos.

Como já havia feito o procedimento com a profissional anteriormente, Jessika aceitou, ainda que receosa, passar pela sessão. Ela conta que durante o procedimento, realizado na segunda-feira (11), não teve desconforto, mas, ao ser perfurada pela última agulha, sentiu uma dor incomum de imediato.

 

“Eu comentei com ela [massoterapeuta] sobre a dor, mas ela disse que fazia parte, que era normal do processo”, relata.

Fiquei desesperada, corri direto para o hospital, me atenderam e levaram direto para fazer tomografia. Assim que terminei o médico me avisou que teria que me conduzir para uma cirurgia de emergência

 

Após ser tranquilizada pela profissional, a empresária resolveu ir para casa mesmo com dor. No entanto, chegando na residência, notou que o desconforto só piorava, fazendo com que ficasse impossível até deitar na cama.

 

Preocupada, resolveu ligar para sua fisioterapeuta para questionar se era possível algo grave ocorrer em uma sessão de acupuntura. Ela afirma que assim que falou sobre as dores e falta de ar, a fisioterapeuta confirmou sua suspeita. “E ela disse: ‘pode ter perfurado seu pulmão’”.

 

A explicação, que posteriormente foi confirmada pelos médicos, era que Jessika tinha uma estrutura física muito magra, com pouca camada de gordura, o que fez a agulha atravessar suas costas direto para o pulmão.

 

“Fiquei desesperada, corri direto para o hospital, me atenderam e levaram direto para fazer tomografia. Assim que terminei, o médico me avisou que teria que me conduzir para uma cirurgia de emergência”, relembra.

 

A cirurgia foi necessária porque a fissura já estava possibilitando a entrada de água no pulmão. Segundo Jessika, durante a sessão com as agulhas, a massoterapeuta também usou ondas de choque para potencializar os resultados terapêuticos, o que, possivelmente, agravou o ferimento.

 

Foi necessário inserir um dreno no pulmão da empresária, que segue internada no Hospital 13 de Maio em Sorriso. Apesar da operação bem sucedida, ela afirma que ainda sente muita dor, dificuldade de respirar e até para falar.

 

Jessika ainda não tem previsão de alta e nem sabe se vai ficar com sequelas quando se recuperar do ferimento. No entanto, os médicos já adiantaram que ela deve passar por fisioterapia para melhorar a respiração.

 

Arquivo Pessoal

Jessika Aldrey Germiniani

Jessika é empresária do ramo imobiliário em Sorriso

Nesta quinta-feira (14) o médico responsável pelo seu tratamento fechou o dreno para saber como o pulmão da empresária deve reagir. Ela ainda terá que passar por outra bateria de exames ainda hoje.

 

Sempre ativa, Jessika afirma que o período no hospital tem sido difícil e desgastante mesmo com o apoio da mãe. Ela ainda afirma que segue recebendo mensagens da massoterapeuta, mas ainda não teve tempo de falar com ela.

 

A empresária acredita que o procedimento mal sucedido foi apenas uma fatalidade, pois a profissional já atua há anos com a técnica de acupuntura, inclusive com outros membros da sua família.

 

Sendo mãe de um filho pequeno, Jessika afirma que a experiência foi um “susto”, mas se diz otimista para uma melhora rápida.

 

“O importante é que estou viva, tenho que agradecer. Apesar das coisas ruins, estou tentando ver o lado bom de tudo”, finaliza.

Fonte: https://www.midianews.com.br/cotidiano