PEDIDO DE DINHEIRO; PC identifica golpista que se passa por 1ª dama de MT

    0
    62

    Suspeita pode ser condenada a até 8 anos de prisão

    Da Redação Folhamax

    A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), identificou uma mulher envolvida em crime de estelionato aplicado pela internet, em que estavam utilizando a fotografia da primeira-dama do estado de Mato Grosso para aplicação de golpes pelo aplicativo whatsapp.

    A suspeita de 36 anos foi localizada e interrogada, na manhã desta quinta-feira (13.01), na DRCI e será indiciada pelo crime de fraude eletrônica. Segundo as investigações da Delegacia de Crimes Informáticos, a mulher seria a responsável por receber o valor solicitado pelos estelionatários em sua conta bancária.

    As investigações iniciaram após a equipe da DRCI tomar conhecimento da tentativa de golpe, aplicado por meio do aplicativo whatsapp, em que um número de telefone utilizando a foto da primeira-dama, solicitava dinheiro aos seus contados, alegando que não estava conseguindo realizar uma transação bancária.

    Após solicitação do valor, os criminosos passavam uma chave pix para qual o dinheiro deveria ser transferido. Com base nessa informação, os policiais conseguiram identificar a suspeita, moradora do bairro São João Del Rey, em Cuiabá.

    A mulher, que já foi presa anteriormente por tráfico de drogas, foi interrogada pelo delegado, Ruy Peral, na manhã desta quinta-feira (13), na DRCI e será indiciada em inquérito policial pelo crime de fraude eletrônica, com pena de reclusão, de quatro a oito anos.

    Segundo o delegado, a fraude eletrônica é cometida com a utilização de informações fornecidas pela vítima ou por terceiro induzido a erro por meio de redes sociais, contatos telefônicos ou envio de correio eletrônico fraudulento, ou por qualquer outro meio.

    “As investigações estão em andamento para apurar a prática de outros crimes relacionados ao fato, assim como para identificação de outros suspeitos envolvidos”, disse o delegado.