DADOS DO IBGE Na contramão da produção nacional, indústria de Mato Grosso tem alta de 14,6%

    0
    72

    Da Redação – Airton Marques Foto: Rafaella Zanol / Gcom MT

    Na contramão do país, a produção industrial de Mato Grosso registrou alta de 14,6% na passagem de outubro para novembro, conforme analise do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Com a variação negativa de 0,2% na indústria nacional em novembro, na série com ajuste sazonal, oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE apresentaram taxas negativas. As perdas mais acentuadas foram em Amazonas (-3,5%), Ceará (-2,5%) e Rio de Janeiro (-2,2%), com Nordeste (-1,8%), Bahia (-1,7%), Espírito Santo (-0,9%), Paraná (-0,7%) e Pernambuco (-0,3%) a seguir.

    Já as maiores altas, além de Mato Grosso (14,6%), foram os estados de Santa Catarina (5,0%) e Pará (3,5%), com Rio Grande do Sul (1,2%), São Paulo (1,0%), Minas Gerais (0,8%) e Goiás (0,1%).

    Conforme a análise, Mato Grosso intensificou o crescimento de outubro (3,4%), quando interrompeu quatro meses consecutivos de queda na produção, período em que acumulou redução de 7,0%.

    Média trimestral

    O índice de média móvel trimestral para a indústria recuou 0,5% no trimestre encerrado em novembro frente ao nível do mês anterior, mantendo a trajetória descendente iniciada em janeiro de 2021.

    Houve taxas negativas em dez dos 15 locais pesquisados, com destaque para os recuos mais acentuados assinalados por Amazonas (-2,5%), Minas Gerais (-1,4%), Ceará (-1,2%), São Paulo (-0,9%), Goiás (-0,8%) e Santa Catarina (-0,6%). Por outro lado, Mato Grosso (4,3%), Região Nordeste (2,1%), Rio Grande do Sul (1,7%), Pernambuco (1,6%) e Bahia (1,2%) registraram os avanços em novembro de 2021.

    Anual

    Na comparação com novembro de 2020, a indústria nacional teve redução de 4,4% em novembro de 2021, com dez dos 15 locais pesquisados apontando taxas negativas.

    Mato Grosso, com expansão de 28,0%, apontou o crescimento mais elevado em novembro de 2021, impulsionado, em grande parte, pelo avanço observado na atividade de produtos alimentícios.