Após anos de luta da classe artística, filha de Adir Sodré dá primeiras pinceladas em reprodução de mural da Praça 8 de Abril em Cuiabá.

0
56
ANTES ARTE DO QUE NUNCA

Da Redação – Pedro Coutinho Bertolini Foto: Olhar Direto

Após anos de luta da classe artística de Mato Grosso, a Prefeitura de Cuiabá finalmente iniciou a reprodução de uma obra do saudoso artista plástico Adir Sodré, na Praça 8 de Abril, região central de Cuiabá. As primeiras pinceladas foram dadas por Nina Sodré, filha do artista, por volta das 17h desta segunda-feira (19), no coreto da praça. Na cerimônia estavam presentes o grupo de amigos e artistas responsável por fazer a movimentação pela retomada do mural, a filha, historiadores, empresários, o reprodutor da pintura Luzinan alves, além do secretário Aluízio Leite, responsável pela pasta de Cultura, Esporte e Lazer.
Nina Sodré foi convidada pelos envolvidos no processo para comparecer até a praça e dar as primeiras pinceladas nos traços da obra de seu pai. Ela contou que ficou sabendo que o mural havia sido apagado e que um grupo de amigos estava se movimentando para uma nova pintura, e que, a partir de então, iniciaram as ações de recuperação.

“E aí fomos atrás e tá tudo certo. Hoje é o início. A cidade de Cuiabá tem muita vida, muitas obras e meu pai fez parte desse movimento e isso é muito importante”, disse Nina reforçando que a classe artística está empenhada em uma luta para levar o conhecimento sobre os artistas regionais às novas gerações, como uma forma de resgatar e preservar a memória da cidade.

Escolhido pelo grupo de amigos e autorizado por Nina para ser o reprodutor da obra de Sodré, Luzinan Alves é designer gráfico e um dos melhores reprodutores mato-grossenses, que faz trabalhos em larga escala. Ele ficou dois anos laborando ao lado de Adir, ajudando nas obras grandes e pequenas, “até que nas menores eu passei a pintar junto com ele”, disse.

Ciente da importância que a pintura tem para a cidade, para Adir, família e classe artística de Mato Grosso, contou que ficou honrado por terem lhe escolhido para essa responsabilidade.

“É um trabalho que ele já havia doado para a população, foi retirado e é uma honra muito grande confiarem em mim para reproduzir esse trabalho. Me sinto privilegiado. Acho que talvez o trabalho mais detalhado que já fiz até hoje em Cuiabá”.


O mural foi apagado na data de reinauguração da Praça 8 de Abril, em dezembro de 2019. Adir faleceu oito meses depois, em agosto. Além da sua pintura, também foi retirada a escultura “Árvore de Todos os Povos”, de Wlademir Dias-Pino e a placa em homenagem ao poeta Silva Freire, que nomeava o coreto.

Para Gervane de Paula, expoente artista em Cuiabá e Mato Grosso reconhecido nacional e internacionalmente, a reprodução demorou, mas saiu. Com largo sorriso no rosto por conta da conquista da luta da categoria, porém demonstrando certa insatisfação pela falta de celeridade da retomada do mural, brincou: “antes Arte do que nunca”.

Ele acrescentou que a retomada do painel do saudoso Adir Sodré foi uma conquista da classe, consequência de esforço bastante forte empenhado pelo grupo de amigos, família e fomentadores da arte no estado. “O painel não voltaria, pois foi o próprio município que tirou ele de cena, mas o importante é que o painel está voltando”.

Presente na cerimônia, o titular da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, Aluízio Leite, reforçou o compromisso da pasta em reconstruir a pintura de Sodré, ressaltando a honra e alegria em poder devolver sua obra à capital.

“Ela (Nina Sodré) de pronto nos atendeu e se colocou à disposição de estar aqui neste dia para garantirmos e abrilhantarmos esse ato que é a volta dessa obra. Temos um compromisso com a classe cultural com o retorno da obra”, pontuou Aluízio.

Além disso, o secretário se comprometeu em retornar à praça a escultura/poema Árvore de Todos os Povos, produzida por Wlademir Dias-Pino, poeta, artista visual e artista gráfico brasileiro, considerado o fundador da poética construtiva no Brasil e vanguarda do movimento intensivista de Mato Grosso.

Na data de revitalização da praça, o mural se apagou, a escultura foi retirada e a placa de Silva Freire descolada. Prontamente os expoentes das artes em MT se mobilizaram para apresentar o descontentamento contra a revitalização que “apagou” a memória dos artistas da 8 de abril e de Cuiabá.

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), à época, afirmou que a escultura havia sido perdida, mas que faria uma réplica. Até hoje, no entanto, a réplica não foi colocada na praça, e somente agora a Prefeitura tomou atitude em relação ao mural de Adir.

A empresa Ação Cultural foi contratada pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer para fazer a reprodução da obra, que está instalada em substituição à obra anterior do mesmo artista que havia no local.

Com dimensões originais de 68,5 x 200 cm, a pintura foi feita na técnica acrílica sobre tela e não possui título e nem data. A partir desse material, o publicitário, Ricardo Miguel Carrion Carrecedo, reproduziu digitalmente em alta resolução a obra do artista.

Já a reprodução em grande escala ficará a cargo do designer e artista plástico, Luzinan Alves de Oliveira, especialista nesse tipo de pintura. Na definição da nova obra também foram importantes as participações da filha do artista, Nina Sodré, da Maria Tereza, Entrelinhas Editora, e do historiador, Maurim Costa.

Também participaram da solenidade diversos representantes da classe artística e cultural de Cuiabá, entre eles, a diretora da Ação Cultural, Viviene Lozi, a editora Entrelinhas, Maria Tereza, o historiador, Maurim Costa, o artista plástico, Gervane de Paula, a conselheira de Artes Visuais, Odete Venâncio, a historiadora e escritora, Neila Barreto, a artista e produtora cultural, Zilda Barradas, o escritor e poeta, Ivens Scaff, a diretora da Casa Silva Freire, Larissa Freire, a atriz Lúcia Palma, entre outros.