Com Mendes, MT em céu de brigadeiro economico, já em Cuiabá, inferno astral e catástrofe anunciada.

0
46

Em 2022, sete estados receberam o conceito máximo A, que indica a melhor situação fiscal de Estados e
Municípios.

MT surfa na onda do equilíbrio, contas em dia e solidez econômico financeira, pelo segundo ano consecutivo… E a credibilidade oficializada.

Estão entre os Estados nessa situação, o Espírito Santo, o Mato Grosso, a Paraíba, Rondônia e Roraima.

Pela metodologia do Tesouro Nacional, a Capag apura a situação fiscal dos estados e municípios que querem contrair novos empréstimos com garantia da União, de forma a verificar se um novo endividamento representa risco de crédito para o Tesouro Nacional.

O cálculo é composto por três indicadores: endividamento, poupança corrente e índice de liquidez.

MT novamente recebe nota máxima que aditiva a vontade de empreendedores investirem, mantém a
tranquilidade de fornecedores e credores e abre caminho ainda mais promissor para o futuro que se desenha… São as boas notícias diárias que banham as praias do Pantanal.

Já Cuiabá… Que desastre!

Entre as capitais, ficaram inelegíveis para recebimento de garantias em operação de crédito apenas os municípios de Campo Grande (nota C), “Cuiabá (Capag suspensa)”, Fortaleza (nota C) e Natal (nota C).

A Capag apura que Cuiabá têm o indicador de poupança corrente superior a 95%, indicativo de um comprometimento elevado de suas receitas correntes com despesas.

Aquilo que todos já sabiam e fazem de contas não saber, está demonstrado e o anúncio da tragédia anunciada, de conhecimento público e de comentários em rodas, já bate nas portas da capital de MT… Cuiabá está no fundo do poço econômico e o amanhã poderá ser de catástrofes e carestias.

Já se fala em política, em conchavos, candidatos e expectativas eleitorais nos quatro cantos, só que essa notícia, banha em água gelada pretensas disputas e trás grandes preocupações para quem pretender se arriscar a essa “aventura”.

Enquanto isso a máquina pública municipal desordenada, irresponsável e destruidora, continua nas mãos de Emanuel Pinheiro que parece não estar muito aí para a paçoca e continua bravateando, administrando mal e acumulando dívidas e compromissos que vão deixar a cidade verde com o pepino para outros tentarem descascar em 24.

Que pena que Cuiabá não acompanha o progresso e o desenvolvimento que o Estado está proporcionando a sociedade.

Deus que nos proteja das surpresas que com certeza ainda estão por vir.

Halisson