Governador diz que quitou empréstimo do VLT com a Caixa Econômica

0
120

O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou que o governo do Estado quitou todo o empréstimo feito com a Caixa Econômica Federal para as obras do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) que estão sem conclusão. Segundo o governo, foi pago mais R$ 500 milhões.

 

“Ponto final, minha gente. Nós até pagamos a Caixa Econômica, não devemos mais nada a eles. O edital de licitação já foi publicado, qualquer coisa que diga nisso aí é factoíde, besteira”, disse Mauro Mendes nesta segunda-feira (20) durante a inauguração da ETA Cristo Rei em Várzea Grande.

 

Mendes também aproveitou para cutucar novamente o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), que vem ingressando com vários pedidos na justiça para interromper a troca de modal para o BRT.  “Todo mundo que prometeu uma guerra jurídica, levou uma saraivada jurídica e o governo está muito consciente no seu papel daquilo que está fazendo e falar contra isso é desrespeitar até o próprio interesse público”, afirmou.

 

No dia 13 de dezembro, o governador lançou o edital para a contratação de uma empresa para elaborar os projetos básicos e executivos de engenharia e desapropriação. O governo afirma que valor da obra ficará em R$ 480 milhoes. Porém, esta soma será estimada com mais segurança depois que os projetos ficarem prontos.

 

Em setembro deste ano, por exemplo, o próprio governo afirmou que as obras do BRT ficariam em R$ 630 milhões. Na ocasião, Mendes chegou a culpar a inflação pelo aumento de R$ 200 milhões desde o dia em que anunciou a desistência do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em dezembro de 2020 pelo valor de R$ 430 milhões.

 

A obra prevê construções de 46 estações, de um terminal na região do Coxipó e outro no CPA, e a reconstrução do Terminal André Maggi, em Várzea Grande. Será construído ainda um viaduto para passagem do BRT na rotatória das avenidas Fernando Correa da Costa e Beira Rio, de uma nova ponte sobre o rio Coxipó, a criação de um parque linear na avenida do CPA, a requalificação do Largo do Rosário e demais adequações no trânsito.

Fonte: https://www.gazetadigital.com.br/editorias/politica-de-mt