Mais de 200 famílias são obrigadas a sair de casa após enchente atingir município em MT

    0
    157
    ALOJADAS EM ESCOLA

    Da Redação – Marcos Salesse Foto: Reprodução

    Mais de 200 famílias foram obrigadas a sair de suas casas após uma forte enchente atingir os bairros Catira, Fazenda Velha 1 e 2, no município de Alto Paraguai (200 km de Cuiabá). No último sábado (18), por conta da forte chuva que caiu na região, os rios Paraguai e Fazenda Velha transbordaram, atingindo a residência de diversas famílias. Diante da situação, o Corpo de Bombeiros foi acionado e ajudou na retirada das famílias, que agora ocupam um alojamento montado em uma das escolas da cidade.

    Segundo informações do Corpo de Bombeiros, duas viaturas e uma embarcação precisaram se deslocar até o local para resgatar famílias ilhadas por conta da enchente. Todas as pessoas foram removidas das áreas de risco e encaminhadas para a Escola Municipal Pedro Duarte, onde foi montado um alojamento temporário para abrigar as famílias.

    Já na manhã do domingo (19), o nível de ambos os rios começou a baixar e algumas famílias retornaram para suas residências. Até o momento, apenas o rio Paraguai continua com o nível considerado alto e por isso segue monitorado pela Defesa Civil.

    Em entrevista a reportagem do Olhar Direto, o prefeito do município, Adair José (MDB), comentou que algumas famílias buscaram auxílio na casa de parentes após serem resgatadas. Ainda segundo o chefe do executivo, não há na história recente do município um caso de enchente tão grave como o registrado no último sábado (18).

    “Algumas famílias já conseguiram voltar, outras estão na casa de parentes e o pessoal da Defesa Civil está conosco no município, para continuar monitorando o rio Paraguai. O que deu o maior problema foi o rio Fazenda Velha, mas que já está quase no nível normal, mas o rio Paraguai ainda está bastante cheio. Foi uma enchente grande, não temos nenhum registro na história recente de Alto Paraguai de algo parecido com o que vivemos”, declarou o prefeito, nesta segunda-feira (20).

    Segundo Adair, a enchente também afetou o sistema de abastecimento de água do município, já que todo o recurso hídrico é captado do rio Paraguai. Para amenizar o problema, a Prefeitura chegou a enviar água mineral para que as escolas e outros prédios públicos pudessem funcionar.

    “Algumas casas dos ribeirinhos ficaram danificadas. Nosso sistema de água ainda está com problemas, porque captamos água no rio Paraguai. Retornamos às aulas hoje, mas estamos tendo que enviar água mineral para as escolas, então estamos ainda com os sintomas da enchente”, acrescentou.

    Os prejuízos causados pela enchente seguem sendo contabilizados pela Prefeitura. Uma conversa com o governador Mauro Mendes (UNIÃO) deve ser solicitada por Adair para cobrar ajuda no restabelecimento do abastecimento de água e também para realização de obras de drenagem.

    “Agora a gente ainda está levantando os danos e eu pretendo fazer uma conversa com o governador para nos ajudar, sobretudo na questão da água e da drenagem, para fazer uma correção e evitar que isso ocorra novamente”, comentou o prefeito.

    Chuvas continuam 

    Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as chuvas devem continuar até a próxima sexta-feira (24). Há previsão de chuvas com até 25mm, volume considerado forte pelos padrões meteorológicos. Diante do alto nível do rio Paraguai, a Defesa Civil deve continuar atuando na região.