Parte dos voluntários de MT relata efeitos adversos da vacina e MT 138.137 casos e 3.758 óbitos por Covid-19 nesta quarta (21)

0
150

DEU EM A GAZETA

Elayne Mendes

elaynemendes@gazetadigital.com.br

Reprodução/Facebook

Parte dos voluntários mato-grossenses que receberam a primeira dose da vacina chinesa para prevenir a contaminação pelo coronavírus (covid-19) apresentou alguns efeitos adversos, como dor de cabeça e no local da aplicação, além de cansaço. Em âmbito nacional, o percentual de voluntários com efeitos é de 35%. Eles fazem parte da 3ª etapa do ensaio clínico da Coronavac, vacina desenvolvida pelo laboratório Sinovac Life Science e que, no Estado, está sendo operacionada por equipes científicas do Instituto Butantan e do Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM). A dose, que deve continuar sendo aplicada até final de novembro em Mato Grosso, foi motivo de polêmica nesta quarta-feira (21) entre os governos estadual e federal. O governador Mauro Mendes, após reunião com o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, anunciou que a imunização no Estado iniciaria em janeiro, informação que foi desmentida pelo presidente da República nas redes sociais.

Na tarde de terça-feira (20), o gestor da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Gilberto Figueiredo, já havia externado suas expectativas para o início da aplicação da vacina chinesa na população local que, com o avançar da pesquisa, poderia ser disponibilizada ao mercado ainda neste ano. “Nós queremos ser otimistas. Os testes sendo finalizados até novembro, com a possibilidade que esteja disponível no país já os primeiros lotes para testar, prioritariamente o grupo de risco e os profissionais da área da saúde”.

Apesar de frisar que vem acompanhando o estudo clínico junto ao HUJM, Figueiredo destacou que até então tudo se trata de expectativa, já que ainda não havia, definitivamente, nenhum posicionamento quanto a uma data por parte do Ministério da Saúde, “que aguarda a finalização desses testes necessários para ter a autorização devida para poder fazer a vacinação”.

Diante da afirmação do governador de São Paulo, João Dória, de que no estado a vacinação contra a covid-19 será obrigatória, Figueiredo explicou que tudo que ocorre no país quanto à vacinação é coordenado pelo Ministério, via Programa Nacional de Imunização. “Mato Grosso não ficará de fora, vai ser contemplado como todos os estados, dentro dos critérios que o governo federal estabelecer para isso”.

Vale destacar que nenhum dos voluntários que foram vacinados apresentaram reações adversas graves.

Confira reportagem completa na edição do Jornal A Gazeta

MT 138.137 casos e 3.758 óbitos por Covid-19 nesta quarta (21)

DA REDAÇÃO / MATO GROSSO MAIS
redacao@matogrossomais.com.br

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (21.10), 138.137 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.758 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 850 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 138.137 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 14.164 estão em isolamento domiciliar e 119.661 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 182 internações em UTIs públicas e 187 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 45,50% para UTIs adulto e em 21% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (27.424), Rondonópolis (10.135), Várzea Grande (9.790), Sinop (6.626), Sorriso (6.136), Lucas do Rio Verde (5.836), Tangará da Serra (5.559), Primavera do Leste (4.739), Cáceres (3.404) e Campo Novo do Parecis (2.857).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 110.826 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 734 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última terça-feira (20), o Governo Federal confirmou o total de 5.273.954 casos da Covid-19 no Brasil e 154.837 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 5.235.344 casos da Covid-19 no Brasil e 153.905 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de quarta-feira (21).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.