Primavera começa nesta quinta e estação promete ser de muita chuva em Cuiabá. Dando início ao plantio das principais culturas de verão

    0
    60

    Os temporais também não estão descartados na Capital, segundo o Inmet

    Foto: Gabriella Arantes

    O período mais florido do ano começa nesta quinta-feira (22), a Primavera. E em Cuiabá, a estação chega com previsão de altas temperaturas e muita chuva.

    Segundo o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a primavera é uma estação de transição do período seco para o período úmido e, por isso, podem ocorrer temporais.

    “Terá pancadas de chuvas e com trovoadas. Como está muito quente ainda, os temporais não estão descartados, com ventos fortes e raios”, explicou o profissional em entrevista ao Leiagora.

    De acordo com o instituto Climatempo, nesta quinta-feira (22), as temperaturas variam entre 24ºC de mínima e 32ºC de máxima na Capital. Com ventos de até 16 km/h, há 67% de chance de chuva, que pode cair durante o período da madrugada e da noite. A umidade relativa deve variar entre 36% e 76%.

    Na sexta (23), a temperatura mínima deve cair para 22ºC e a máxima fica em 33ºC. Com ventos de até 20km/h, não há possibilidade de chuva durante o dia.

    No sábado (24), a temperatura deve cair um pouco mais, marcando para 20 ºC e a máxima atinge 37ºC. Os ventos podem chegar a 9 km/h e a previsão é de 90% de chance de chuva durante o período da tarde e da noite.

    No domingo (25), a temperatura mínima sobe para 25ºC e máxima continua em 37ºC. Há 80% de chance de chuva durante todo o dia.

    Primavera começa hoje (22) dando início ao plantio das principais culturas de verão

    Durante a primavera, a previsão indica predomínio de chuvas acima da média climatológica em grande parte das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, confira!

    Com a chegada da Primavera no Hemisfério Sul e o crescente aumento das chuvas em grande parte do país nesta época do ano, tem-se o início do plantio das principais culturas de verão. Segundo o Prognóstico Climático do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para os meses de outubro a dezembro indica predomínio de chuvas acima da média climatológica em grande parte das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste.

    A previsão indica, ainda, maior probabilidade de chuvas abaixo da média climatológica em toda a Região Sul, em decorrência dos impactos que o fenômeno La Niña pode causar.

    Segundo o Inmet, os primeiros episódios da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) poderão ocorrer durante a primavera, com chuvas no Sudeste, Centro-Oeste, no estado do Acre e em Rondônia. Já na Região Sul, poderão ocorrer episódios de Complexos Convectivos de Mesoescala (CCM), que estão associados a chuvas fortes, rajadas de vento, descargas atmosféricas (raios) e eventual granizo.

    Conteúdo relacionado…
    Soja: cotações interna e externa recuam

    soja

    Os preços da soja caíram no Brasil e nos Estados Unidos (EUA) De acordo com pesquisadores do Cepea, a pressão Acesse

    Soja: vazio sanitário está chegando ao fim

    tratores

    O mês de setembro é marcado pelo fim do vazio sanitário (15 de setembro) da soja e o início dos Acesse

    A Primavera no Hemisfério Sul inicia-se no dia 22 de setembro de 2022 às 22h04 e termina no dia 21 de dezembro às 18h48. Climatologicamente, é um período de transição entre as estações seca e chuvosa no setor central do Brasil.

    Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

    Impactos na safra 2022/2023

    No Brasil Central, o prognóstico climático aponta para o retorno gradual das chuvas, principalmente em outubro, o que será importante para a elevação do armazenamento de água no solo e estabelecimento das fases iniciais das culturas no campo, como a soja, milho e algodão.

    primavera

    Já na Região Sul e no sul do Mato Grosso do Sul e de São Paulo, a previsão de chuvas abaixo da média pode impactar o início da safra de grãos nessas áreas. Entretanto, os acúmulos de chuva que têm ocorrido na Região Sul desde a segunda quinzena de agosto têm mantido o armazenamento de água no solo acima de 50% em grande parte da região, o que pode contribuir para o menor impacto nas fases iniciais dos cultivos da safra de grãos, caso ocorram chuvas abaixo da média.

    No Matopiba, região que engloba áreas do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, o início da safra de verão pode ser marcado por chuvas dentro ou acima da média climatológica, principalmente nos meses de novembro e dezembro. Essas chuvas serão responsáveis pela elevação dos níveis de água no solo, principalmente em áreas do oeste da Bahia e no estado do Tocantins, favorecendo o estabelecimento e as fases inicias das culturas agrícolas.

    Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

    Prognóstico Climático para o Período Outubro, Novembro e Dezembro/2022 

    Na região Norte, a previsão climática para os meses de outubro a dezembro indica predomínio de chuvas acima da média climatológica em grande parte da Região Norte, principalmente no Amapá, devido à atuação do fenômeno La Niña e ao padrão de águas mais aquecidas próximo à costa. No sul do Pará e sudoeste do Amazonas, a previsão é de chuvas ligeiramente abaixo da média durante o trimestre.

    No Nordeste, a previsão do Inmet para a primavera indica que haverá o predomínio de chuvas acima da climatologia em grande parte da região. Assim como na Região Norte, a continuidade das chuvas na Região Nordeste está associada aos impactos da La Niña e ao padrão de águas ligeiramente mais aquecidas próximas à costa.

    A tendência para a primavera é de chuvas próximas e acima da média histórica em praticamente toda região Centro-Oeste, exceto no centro e sul do Mato Grosso do Sul e no leste do Mato Grosso, onde são previstos totais de chuvas ligeiramente abaixo da climatologia do trimestre.

    Também na Região Sudeste, a previsão para os próximos três meses é de chuvas acima da média em grande parte da região. No sul de São Paulo, as chuvas poderão ocorrer abaixo da média.

    Já na Região Sul, a previsão indica maior probabilidade de chuvas abaixo da climatologia em toda a região, em decorrência dos impactos que o fenômeno La Niña pode causar.

    AGRONEWS® é informação para quem produz