Provas apreendidas na casa de Carlinhos Bezerra mostram que acusado monitorava todos os passos da ex assassinada

    0
    65
    GRAVADORES E RASTREADORES

    Da Redação – Airton Marques / Do Local – Fabiana Mendes Foto: Fabiana Mendes/OD

    Provas obtidas na casa do empresário Carlos Alberto Gomes Bezerra, 57 anos, mostram que a advogada Thays Machado, 44 anos, vinha tendo todos seus passos monitorados pelo ex-namorado, que a matou com três tiros, no dia 18 de janeiro. As informações são do delegado Marcel de Oliveira, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), que cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do suspeito, no fim da manhã desta segunda-feira (23)

    De acordo com o delegado, no escritório montado na casa de Carlinhos – no bairro Santa Rosa, em Cuiabá -, os agentes encontraram gravadores e equipamentos que monitorava a localização de Thays, assim como os contatos telefônicos que ela tinha em vida. As provas confirmam a linha de investigação, de que o crime foi premeditado.

    “As buscas foram proveitosas. Conseguimos comprovar que o suspeito estava perseguindo a vítima. Achamos rastreadores, gravadores e diversas provas de que o suspeito vinha monitorando os passos da vítima, como por exemplo, as geolocalizações, por meio de aplicativo, da vítima”, disse.

    “Todas as agendas de contato da vítima, como também os contatos que a vítima fazia, ele procurava saber se era com homem ou com mulher. Perseguindo os passos da vítima. Como já tinha falado anteriormente, de ser um crime planejado, as provas que localizamos dentro do escritório do suspeito vem corroborar com a investigação”, completou.

    A equipe da DHPP chegou na casa de Carlinhos por volta das 10h e só deixou o local depois das 12h. Foi preciso chamar um chaveiro para abrir cofre no escritório do filho do deputado federal Carlos Bezerra (MDB). Como o empresário está preso preventivamente na Penitenciária Central do Estado (PCE), seu advogado, Carlos Faiad, acompanhou o cumprimento do mandado de busca e apreensão.


    O caso

    Além de Thays, Carlinhos Bezerra também atirou e matou o atual namorado da vítima,  Willian César Moreno, de 30 anos. Eles estavam na porta do Edifício Solar Monet, no bairro Miguel Sutil, em Cuiabá, após terem deixado o carro e chave no apartamento da mãe da advogada.

    Em coletiva de imprensa na quinta-feira (19), Marcel explicou que Carlinhos já estava rondando o local. Câmeras de segurança registraram o casal saindo do prédio de mãos dadas. Sorridentes, Thays e Willian deixaram a chave do veículo com o porteiro e foram para calçada, onde aguardariam um motorista de aplicativo.

    Neste momento, eles foram surpreendidos por Carlinhos Bezerra, que estava dirigindo um Renault Kwid branco. Ele estacionou na frente do edifício e, de dentro do carro, disparou contra o caso. Willian chegou a tentar correr, mas foi baleado nas costas. Os dois morreram ainda no local do crime.

    Durante a madrugada da quarta-feira (18), horas antes de matar a ex-namorada e o atual namorado dela, Carlos abordou o casal no trânsito usando uma arma de fogo. Na ocasião, Thays havia buscado William no aeroporto após ele ter chegado de uma viagem.

    A juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa, 1ª Vara Especializada de Violência Doméstica de Cuiabá, converteu a prisão em flagrante do empresário para preventiva.

    Na decisão proferida nesta sexta-feira (20), a magistrada afirmou que o investigado demonstrou desprezo pela vida e crença de impunidade, por conta de seu prestígio social em Mato Grosso.