Rebanho bovino cresce e MT chega a quase 33 milhões de cabeças de gado

0
210

Estado ainda se destaca na produção de galinhas e ovos.

Safira Campos Da Redação Agência Brasil

O rebanho bovino cresceu pelo segundo ano consecutivo em 2020 em Mato Grosso, conforme a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada nesta quarta-feira (29.09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O cenário de crescimento foi observado em todo o país, que chegou a 218,2 milhões de cabeças no ano passado, maior efetivo desde 2016.

Apenas em Mato Grosso no ano de 2020, foram registradas 32,7 milhões de cabeças , o que representa uma alta de 2,3% ante 2019.  Entre as grandes regiões, o maior crescimento em número absoluto de rebanho bovino ocorreu no Norte: 5,5%, ou mais 2,7 milhões de cabeças, somando 52,4 milhões. O Centro Oeste respondeu por 34,6% do total (75,4 milhões).

O município mato-grossense com maior produção de bovinos em 2020 foi Vila Bela da Santíssima Trindade, que sozinha produziu 1.209.781 cabeças. A cidade ocupa o 5º lugar no ranking de municípios que mais produziram. A pesquisa ainda mostra a produção de galinhas, com destaque para Primavera do Leste, que apenas em 2020 registrou produção de 4.050.000. O município mato-grossense também figura entre os principais produtores de ovos.

Nacionalmente, o rebanho bovino cresceu pelo segundo ano consecutivo em 2020, após dois anos seguidos em queda. A produção de leite de vaca também cresceu, chegando à marca recorde de 35,4 bilhões de litros, aumento de 1,5% em relação ao ano anterior. O valor de produção do leite atingiu R$ 56,2 bilhões.

No caso dos bovinos, a alta de 1,5% garantiu a marca de do segundo maior rebanho da série histórica iniciada em 1974. A alta do preço do boi gordo, do bezerro e o crescimento nas exportações de carne contribuíram para o aumento do rebanho no ano, já que o produto esteve mais valorizado.

O valor de produção dos principais produtos pecuários cresceu 27,1% em 2020, chegando a R$ 75,5 bilhões. A produção de leite concentrou 74,9% deste valor, seguida pela produção de ovos de galinha (23,6%), mel (0,8%), ovos de codorna (0,5%), lã (0,1%) e casulos de bicho da seda (0,1%). Já a produção nacional de leite chegou ao recorde de 35,4 bilhões de litros em 2020, com alta de 1,5% ante 2019.

A produção nacional de ovos de galinha bateu novo recorde: 4,8 bilhões de dúzias em 2020, alta de 3,5% frente a 2019. Em 2020, e em particular na pandemia, o ovo foi uma fonte de proteína alternativa mais acessível. Já a  piscicultura cresceu 4,3%, chegando a 551,9 mil toneladas.