Saiba por que 23 cidades de MT fazem aniversário em 13 de maio

    0
    97

    Por Ana Adélia Jácomo, TV Centro América

    Tangará da Serra está entre as cidades — Foto: Secom/MT

    Mato Grosso possui 141 cidades, das quais 23 fazem aniversário no mesmo dia: 13 de maio. A curiosidade chama a atenção e o g1 foi atrás de respostas para entender o porquê de esses municípios terem a mesma data de fundação.

    No 13 de maio de 1986 surgiram:

    As cidades de São Félix, Pedra Preta e Tangará da Serra, também foram criadas no dia 13 de maio, mas do ano de 1976.

    João Carlos Vicente Ferreira é pesquisador, historiador e escritor. Ele explicou que há duas grandes razões para as cidades terem sido fundadas de uma só vez. A primeira, se refere à carga histórica que o dia 13 de maio representa, pois foi nesse dia que houve a abolição da escravidão no Brasil.

    A segunda, para ele, é que a data, na verdade foi uma grande jogada política.

    “Mato Grosso era governado pelo então governador Júlio Campos, e naquele período ainda não tínhamos a questão da reeleição e ele, político por natureza, percebeu que teria que sair do cargo e alçar um novo plano. Ele foi ser deputado constituinte, então foi uma estratégia política. Afinal de contas, a Assembleia criou todos esses municípios, mas quem instituiu foi ele”.

    Para o historiador, a medida trouxe benefícios para Campos.

    “Isso foi um ato político. Ele rodou todo o estado, e foi eleito com maior número de votos proporcionalmente, na história de Mato Grosso para deputado federal. Foi uma estratégia muito bem pensada, e é por isso que os 23 municípios têm essa data de aniversário”.

    Outro ponto interessante é a associação à libertação dos escravos, pois a data sugere na mente das pessoas a libertação de algo que os oprime. No caso do distrito, é localidade de pessoas que construíram um ponto de moradia e que, com seu trabalho, proporcionaram crescimento e almejam o progresso.

    “É esse o espírito: de liberdade. De libertarem-se das obrigações ligadas ao município-mãe. Toda vez que um município maior recebe um recurso, ele vai repassar quando bem entender para seus distritos e vilarejos, e então é uma espécie de libertação”, completou o historiador.