Secretaria nega que servidora tenha vacinado jovem “escondido” em Civic; era teste de covid

0
325

CORONAVÍRUS / ATITUDE SUSPEITA

Professor de educação física denunciou que servidora aplicava injeção em homem dentro de carro, no bairro Santa Rosa.

MAJU SOUZA DA REDAÇÃO

 recebeu uma denúncia, na manhã desta sexta-feira (12), de que uma mulher, em um carro da Vigilância de Saúde, aplicava uma seringa com um líquido em um jovem, no meio da rua, no bairro Santa Rosa, na Capital.

A Secretaria de Estado e Saúde (SES) esclareceu que não se tratava de vacinação e sim que a mulher estaria realizando um teste de detecção da covid-19. A situação foi registrada por um professor de educação física, que presenciou a cena. Ele relatou que o paciente desceu de um Honda Civic e entrou no veículo oficial.

“A mulher fazia dosagem, pensei que ela iria vacinar uma idosa. Estava nessa caminhonete, não dava para ver dentro. Até o momento em que um cara, bem novo, desceu do lado do motorista [do Civic]. A mulher o mandou sentar no banco do passageiro e ela aplicou a injeção nele. Estranho”, disse o denunciante.

Em nota, a SES enfatizou que não oferece o serviço de aplicação de vacinas e que a servidora do Estado realiza constantemente coletas domiciliares em servidores e familiares de servidores que estão na linha de frente do combate ao coronavírus.

“O teste de pesquisa de antígeno foi realizado às 11h30 desta sexta-feira (12) e foi necessário após a manifestação de sintomas”, diz trecho da nota.

Questionada, novamente, pelo , sobre a localização e espaço no qual foi realizado o exame, a SES se limitou a dizer que o exame pesquisa de antígeno não necessita de coleta de sangue.

Sobre o fato ter acontecido na rua, dentro de um carro, e sobre a funcionária estar de roupas comuns, apenas com uma máscara nada foi dito.
Veja nota na íntegra:
A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) esclarece que não se trata de aplicação de vacina, mas sim de testagem para detecção da Covid-19. A servidora que manuseia o teste é efetivamente do Estado e realiza constantemente coletas domiciliares em servidores e familiares de servidores que estão na linha de frente do combate ao coronavírus.
O teste de pesquisa de antígeno foi realizado às 11h30 desta sexta-feira (12.03) e foi necessário após a manifestação de sintomas.
A SES enfatiza que não oferece o serviço de aplicação de vacinas.
Conforme a nota esclarece, não é coleta de sangue, é coleta do exame de pesquisa de antígeno. Para o teste de pesquisa de antígeno, a secreção de nasofaringe é extraída com o swab (espécie de cotonete) e colocada em uma solução de soro, de forma que seja dissolvida a amostra. Cinco gotas deste líquido são adicionadas à placa de teste e em 15 minutos o resultado está pronto.